Quando a preferência por produtos naturais/orgânicos vira “neurose”

neurose
Na começo da transição de cosméticos convencionais para cosméticos orgânicos/naturais é comum “surtar” em relação às substâncias químicas nocivas, mas é preciso tomar cuidado para que isso não vire uma obsessão!

Quando comecei a me informar e descobrir cada vez mais sobre os malefícios das substâncias encontradas em cosméticos convencionais achei que fosse surtar. Cada artigo que eu lia (de fontes confiáveis, claro) eu era tomada por preocupação e indignação. A única coisa que se passava pela minha cabeça era como a indústria de cosméticos convencionais era podre e suja (e ainda penso isso) e que eu deveria, definitivamente, me afastar dela.

É comum dar uma “leve surtada” quando você descobre a verdade sobre as substâncias químicas presente nos cosméticos que você usa diariamente. A vontade é de jogar tudo no lixo, comprar cosméticos orgânicos de uma vez só, mas por experiência própria eu digo: não é bem por aí.

A transição de cosméticos normais para cosméticos orgânicos/naturais deve ser gradual!

Quando eu “quase surtei” de tanta preocupação com essa coisa de fórmula eu percebi que se descabelar e tomar medidas drásticas não é o caminho. A solução mais viável é, aos poucos, ir substituindo seus cosméticos convencionais por fórmulas orgânicas/naturais, além de ter certa ponderação em perceber que uma ou outra química polêmica não vai te matar.

Para vocês terem uma ideia, eu demorei cerca de um ano para trocar todos os meus produtos de cuidados diários com a pele convencionais por orgânicos/naturais e só depois disso comecei a substituir os cosméticos capilares, inclusive estou trocando ainda, não terminei. Notem que é um processo definitivo, porém gradual, sem desespero.

É preciso ser exigente, mas em certas situações, entenda que uma ou outra química polêmica não vai te matar!

Sobre “ter certa ponderação em perceber que uma ou outra química polêmica não vai te matar”, eu explico: é natural que queiramos ter cosméticos mais puros o possível em termos de composição. No entanto, infelizmente, nem sempre é possível.

No começo eu deixava de comprar um cosmético 99,8% natural porque tinha apenas uma substância polêmica (benzoato de sódio, por exemplo), sendo que ela não era das mais polêmicas assim, embora não fosse inofensiva. Com o tempo e com muito conhecimento comecei a tolerar mais, a ponderar, ser menos radical.

Claro que eu preciso dizer que, mesmo assim, ainda sou exigente e só sou tolerante dessa forma quando eu vejo que não há outra alternativa (por exemplo: estou sem cartão de crédito para importar e aqui no Brasil não encontro nenhum produto à altura em termos de pureza de composição). Digo isso porque não quero que confundam o que eu disse no parágrafo anterior com o argumento “não dá para evitar todas as químicas polêmicas, se for assim a gente não usa nada”, pois esse último é uma das maiores falácias que eu já ouvi.

Dá, sim, para evitar todas químicas polêmicas. Dá, sim, para abolir substâncias nocivas da sua rotina de beleza. Quem diz o contrário definitivamente não conhece nada sobre o mercado de cosméticos orgânicos/verdadeiramente naturais e precisa, urgentemente, se “desalienar”.

“Essa fórmula é boa?”

Outro erro que muita gente que está começando a se aventurar nesse mundo de cosméticos naturais comete é querer entender tudo sobre substâncias químicas e seus malefícios da noite para o dia. Muitas vezes até apelam e começam a perguntar, exaustivamente, para as blogueiras… Também não é bem por aí.

Nós, blogueiras desse ramo, estamos aqui para fornecer as informações necessárias para que você escolha o que é melhor para si. Não somos programas que analisam fórmulas e dizem se “presta” ou “não presta”, quem somos nós? Todas nós aprendemos tudo que sabemos hoje ao longo de muitos meses, e pior ainda, sem ninguém para nos dizer se tal produto tinha fórmula boa ou não. Aprendemos tudo na raça, e infelizmente é assim que se aprende!

Se nós dermos tudo mastigado, vocês não terão conhecimento aprofundado e nem senso crítico para julgar uma fórmula por conta própria. O nosso papel é fornecer todas as ferramentas para que vocês se tornem consumidores conscientes, bem informados, que saibam identificar substâncias químicas nocivas e polêmicas. Mas, reiterando: isso só vem com o tempo e com experiência. Não precisa se preocupar, logo você pega o jeito, eu garanto!

————————————

Bom, resumindo o babado, minhas dicas para quem está começando a se interessar por cosméticos naturais/orgânicos: tenha calma, paciência, ponderação, bastante senso crítico, não caia no greenwashing, entenda sobre as certificadoras de produtos naturais/orgânicos. Informe-se, procure saber, aprofunde seus conhecimentos, seja curioso e indagador. Tome cuidado com extremismos e se dê um pouco de tempo… Adaptação sempre requer tempo!

Anúncios

12 comentários sobre “Quando a preferência por produtos naturais/orgânicos vira “neurose”

  1. Esse texto veio em boa hora! Estou justamente nessa fase de transição, e já estava ficando meio paranóica, pois quando me tornei vegetariana eu ja tinha o hábito de ler os rótulos de tudo que eu compro para verificar se não contém ingredientes de origem animal, mas também as vezes prestava atenção nos outros ingredientes se eram naturais, orgânicos etc.

    Mas minha preocupação mesmo começou faz uns 2 meses, comecei a analisar no site EWG as fórmulas dos produtos que tenho, alguns felizmente não tem tantas subsatâncias ruins, mas outros produtos tinhas várias substâncias ruins, que inclusive eu comecei a perceber que tenho alergia ( mas não ligava muito e usava assim mesmo rsrs) e isso me fez acordar e querer mudar, optar por alternativas mais saudáveis.

    Já lia outros blogs que postavam resenhas sobre produtos naturais, mas eu precisa de mais “suporte” e acabei encontrando seu blog, o tantas plantas, o projeto beleza saudável, entre outros e comecei a ler tudo, pesquisar, e aos poucos estou me adequando a essa mudança, mas realmente percebi que não tem como trocar todos meus produtos convencionais de uma vez só, isso requer muito $$ também, e acredito que se fizesse isso compraria coisas no impulso, sem pesquisar antes, que portanto a paciência para essa transição é muito importante.

    Adoro seu blog e fico feliz por compartilhar suas experiências com produto XX, as dicas, etc

    bjo!

  2. Sim, é bom ter parcimônia. Quanto mais descobrimos sobre certo assunto, mais queremos “mudar o mundo”, mas é impossível fazer isso de um dia para o outro – requer paciência. 🙂

  3. È exatamente isso que estou fazendo, estou trocando aos poucos, na medida que o produto acaba eu mudo, pq não dá pra trocar tudo de uma vez né, são muitos produtos e custa caro
    Bjs

  4. Primeiro gostaria de parabenizá-la pelo blog. Penso igual você e por isso me identifico muito. Só uma pergunta: Qual sua opinião sobre os produtos da Natura?

    1. Hum… No sentido de substâncias químicas? A Natura usa muitos ativos vegetais bacanas, só que ainda usa, também, muitas químicas polêmicas… Não chega nem perto de um produto natural, mas se eu fosse comparar entre Boticário, Avon, Racco, inúmeras marcas “acessíveis” para o grande público, a Natura é a melhorzinha nesse sentido.

  5. Que legal! Estou gostando do seu blog.
    Eu também fiquei com vontade de jogar tudo o que tenho no lixo e ainda sair fazendo passeata rs, mas não tenho coragem de jogar tudo pq paguei caro em muitas coisas e algumas eu gosto bastante do efeito, mas meu objetivo é assim que ir acabando meus produtos eu substituir por orgânicos.
    O que eu mais me preocupei de início foram os sabonetes e cremes para o corpo, porque é uma área grande de pele que está em contato com os produtos. Então eu troquei meu sabonete de mercado por um da Magia dos Aromas (foi o único que achei na minha cidade). Queria convencer meus pais a trocarem também, mas eu duvido que eles vão se preocupar com isso =(
    Também decidi parar de usar o hidratante corporal que eu tenho (um potão gigante e quase cheio da St. Yves que tem Triclosan e mais um monte de coisas) e encomendei agora um hidratante para o corpo na loja da Cativa.
    Mas no rosto, eu ainda estou vou usar até acabar com meu sabonete e hidratante para contorno dos olhos, porque paguei caro e a área de pele é menor (não sei se tem tanto a ver).
    Um abraço!

    1. Depende muito da área, na área dos olhos a pele é finíssimas e os ativos do creme podem penetrar na corrente sanguínea com mais facilidade, ao contrário da pele do braço, por exemplo. Mas o importante é que você está substituindo seus produtos, logo consegue o que quer. beijoss

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s