Como me tornei vegetariana

salat herz

Acho que esse é o post que, disparado, mais me pediram para fazer! Diariamente recebo muitos emails de pessoas querendo se tornar vegetarianas, querendo saber mais sobre o assunto e também pedindo conselhos de como fazer a transição, perguntando como foi comigo.

Bom, para quem não sabe, sou ovolactovegetariana há 5 anos. Atualmente, estou no caminho para o vegetarianismo estrito (alimentação sem nada de origem animal – mel, leite, ovos, etc.): minha alimentação tem se tornado cada vez mais vegetal e com isso trazendo benefícios sociais, ambientais, para os animais e para mim mesma.

Sempre me perguntam como foi a transição para o vegetarianismo e não sei muito o que responder porque não houve transição: após assistir o documentário Terráqueos (Earthlings), nunca mais voltei a comer carne, parei da noite para o dia e nunca mais senti falta alguma. Nojo, apenas.

Mas se tem algo que eu posso falar sobre é como ficou a minha alimentação depois disso. A resposta é: eu engordei e cometi erros nutricionais horrorosos que, inclusive, a maioria dos novos vegetarianos cometem. Um desses erros é começar a ingerir carboidratos de má qualidade (proveniente, principalmente, de alimentos industrializados, não integrais, refinados, etc.) excessivamente para suprir a tal “sustância” que a carne tem. Resultado: sobrepeso e propensão para doenças crônicas como diabetes, obesidade.

Outro erro é mergulhar de cabeça em laticínios (queijo e derivados), que por serem consumidos em maior quantidade acabam prejudicando a absorção do ferro e causando anemia, além de causarem inúmeros outros problemas (veja aqui). Abusar da soja, principalmente da carne de soja (a PTS), também é um deslize muito comum – os nutricionistas são taxativos em limitar o consumo da PTS para, estourando, 2 vezes por semana (o ideal seria não consumir, porque não é um alimento saudável).

Então, a sugestão que eu dou é: ao largar a carne, não tenha como primeira opção alimentos de origem animal, não se restrinja a isso. O mesmo vale para a soja, alimentos ricos em açúcar, farinha branca. Mergulhe de cabeça na cozinha vegetal. E, claro, é importante que você aprenda a cozinhar, caso não saiba.

A culinária vegetal pode ser extremamente saborosa se você explorá-la sem preconceitos. No meu Instagram (Já está seguindo? @nyleferrari) eu posto diversos pratos que podem te inspirar. Sites como Papacapim, Menu Vegano, Cantinho Vegetariano, Veganana e Chubby Vegan podem te oferecer receitas deliciosas. Canais como o Fully Raw Kristina e Presunto Vegetariano também são ótimas inspirações.

Para organizar a bagunça, aí vai o resumo das dicas (acrescido de outras dicas também):

Como facilitar a transição para o veganismo/vegetarianismo

  • Aprenda a cozinhar
  • Aprenda a escolher seus vegetais e qual a época em que você deve comprá-los
  • Comece acrescentando alimentos de origem vegetal na sua dieta ao invés de ir restringindo-a cada vez mais: acrescente para depois tirar o que é preciso tirar!
  •  Adquira hábitos alimentares saudáveis

O que não fazer ao virar vegetariano

  • Não abusar de alimentos de origem animal que não a carne (laticínios, ovos, etc.), principalmente os laticínios
  • Não abusar da soja, principalmente a PTS, de preferência usá-la só em última opção
  • Não apostar em alimentos ricos em farinha branca, açúcar, gorduras, etc.
  • Não consumir alimentos fontes de cálcio em refeições em que você ingere mais ferro (almoço, por exemplo), pois o cálcio atrapalha a absorção do ferro

O que fazer ao virar vegetariano

  • Investir em alimentos vegetais
  • Dar preferência para alimentos integrais (ou qualquer um natural e rico em fibras) para manter a saciedade
  • Consumir alimentos fontes de vitamina C junto às refeições para aumentar a absorção do ferro (chupar uma laranja após o almoço é legal)
  • Procurar um nutricionista apto a te orientar na sua nova alimentação
  • Se informar cada vez mais sobre nutrição
  • Explorar a culinária vegetal sem preconceitos
  • Visitar sites e canais no Youtube para aprender receitas (indicações já citadas anteriormente)
  • Prefira preparar pratos veganos aos vegetarianos

Em caso de dúvidas, basta me perguntar nos comentários!

Anúncios

19 comentários sobre “Como me tornei vegetariana

  1. Tô tentando virar vegetariana, mas tá meio difícil porque minha mãe só faz comidas a base de carne ou então me enche de PTS! Obrigada Nyle pelas dicas e por dividir sua história com a gente!

    1. É Carol, infelizmente vai ser importante você cozinhar sua própria comida e assim evitar esses “pesares”. É o jeito!

  2. Olá Nyle, bacana o post, estou tentando fazer essa transição também, mas já tem uns bons anos que evito muito as carnes em geral. Queria comentar aqui sobre o atendimento de umas lojas e marcas onde comprei e gostei muito. A Iherb, apesar do ocorrido sobre o produto com data perto do vencimento, me escreveu e vai estornar o dinheiro em minha conta. A Cris da Vid´Ôrgânica, o Paulo da Tutto Bio, a Rose da Cativa, e a ikove. Parabéns a todos e obrigada pelas dicas Nyle, beijos!

    1. Eu vi. Na verdade ela além de falar bobagem, plagiou esse texto de outra pessoa. Esse post está originalmente postado no westtoeastskincare, algo assim o nome. É tão idiota e alienado que o mais prudente é apenas ignorar. beijos

    1. Taysa, a ausência de b12 só ocorre na dieta vegana, na vegetariana você a obtém de outras fontes animais como laticínios, ovos. Mas como estou em fase de restrição, obtenho por meio de suplementação diária. beijos

      1. Eu estava tomando um da Veganicity que comprei no Guia Vegano. Provisoriamente estou tomando um do complexo B da Schraiber, mas ele não é vegano, pretendo comprar outro. No guia vegano e no vista-se tem bons produtos pra você escolher!

    1. Eu acho uma bobagem se o motivo for “preservar a vida das plantas”. Se ela tiver alguma vantagem nutricional, até pode ser, mas do contrário acho bobagem

  3. Uau Nyle que blog lindo e legal!
    Impressionante como os “grandes blogs vazios” ofuscam os “pequenos blogs repletos de bom conteúdo” ^^’
    Então obrigada por compartilhar algo tão importante pra quem tenta melhorar a vida adotando uma dieta vegetariana ou vegana…
    Confesso que ainda é muito complicado pra mim retirar a carne, preciso mesmo ir em um nutricionista, bem lembrado por você. Mas pelo menos já estou me desvencilhando de produtos que ainda testam em animais ou são suspeitas!
    Muito obrigada, beijos enormes e amei conhecer o blog!

  4. Oi Nyle, um colega meu não tem condição financeira para pagar uma consulta com um bom nutricionista especializado em dieta vegetariana, então, anotei os principais alimentos essenciais que ele deve consumir. Dá uma olhada, vc tem conhecimento sobre esse assunto mais do que eu:

    Arroz, feijão carioca e preto orgânicos ; milho, mandioca, inhame, batata comum, batata doce, macarrão integral ; óleo de linhaça, chia em grãos; quinoa e outros grãos ; folhas escuras orgânicas ; vagens ; frutas: maça, banana, abacate ; suplementação de vitamina B12; biscoitos 7 grãos; Suco de uva e tangerina integral.

    Um exemplo de cardápio:

    Café da manhã: Pão francês com margarina, vitamina de banana (com leite comum desnatado ou de arroz com sabor, mas barato… vc conhece algum?)

    Almoço: Arroz e feijão, um tipo de legumes, um tipo de verdura de cor verde escura; Suco

    Janta: mandioca com bolinho de carne de soja, arroz e feijão preto.

    Lanche da noite: Pão integral ou francês com queijo prato, leite desnatado.

    Recentemente, o meu colega, que é lactovegetariano assim como eu, fez um “exame de rotina” e o resultado deu carência de proteínas, minerais e vitaminas, e sabe o que a medica que o atendeu disse? “Vc precisa consumir proteína animal, só ela suprirá essa carência” E a enfermeira: “É vegetariano, é? Tem dó dos animaizinhos? (hahaha)” Por isto que quero ajudá-lo a montar uma boa dieta vegetariana acessível. Desejo que ele volte lá, passe com a mesma médica e mostre que não é preciso comer carne animal para ficar bem de saúde, que é possível suprir a necessidade de proteínas com alimentos vegetais e grãos.

    Se vc quiser me ajudar também, desde já agradeço de coração.

    Bjo!

    1. Eu mudaria um pouco, colocaria dessa forma:

      Arroz integral, feijão carioca e preto orgânicos ; mandioca, inhame, batata comum, batata doce; óleo de linhaça ou linhaça moída no liquidificador antes do uso chia em grãos; quinoa, amaranto e outros grãos; folhas escuras orgânicas (couve, agrião, etc); brócolis; vagens; frutas à vontade, o quanto for possível você consumir (no mínimo 3 unidades diferente de frutas in natura, por dia); suplementação de vitamina B12 (eu modifiquei tirando os industrializados)

      O cardápio ficaria assim:

      Café da manhã: pão integral com azeite extravirgem (melhor pro coração que a margarina!), vitamina de frutas (feito com leite de soja, ou dá pra fazer leite de arroz caseiro e adoçar com stévia, pôr canela). Combinar 3 unidades de frutas diferentes (ou 2 no mínimo) na vitamina. Exemplo: 1 banana, 1 maçã e 1 pêra.

      Almoço: Arroz integral, feijão, couve, folhas verdes à vontade, vinagrete (com tomate, cebola e pimentao), batata doce, brócolis; comer 2 laranjas com bagaço após a refeição (tirei o suco porque não é bacana consumir líquido com comida). O ideal é comer mesmo a laranja e não chupar ou usar como suco.

      Café da tarde: fruta à vontade! Consumir oleaginosas também. 2 unidades de castanha do pará, umas 3 unidades de nozes.

      Janta: pode ser o mesmo do almoço.

      Lanche da noite: vitamina de fruta + frutas in natura pra comer!

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s