Por que boicotar a JBS e suas empresas?

jbs_friboi
Foto: Reprodução

Você conhece a empresa brasileira JBS? Ela é nada mais e nada menos que a detentora do maior abatedouro de carne bovina do mundo, uma gigante no mercado nesse mercado. A JBS, por meio da técnica empresarial chamada holding, é dona também inúmeras empresas, que englobam desde o segmento alimentício até o de higiene e cosméticos.

No segmento alimentício, a JBS detém marcas famosas como (para ver a lista completa, veja aqui):

  • Vigor
  • Swift
  • Bertin
  • Friboi
  • Mesa
  • Amélia
  • Leco

Inspirando-se na gigante estrangeira Unilever, a JBS também têm se expandido para o setor de cosméticos e higiene/limpeza. A empresa Flora, que também pertence à JBS, é detentora de marcas de cosméticos como:

  • OX
  • Neutrox
  • Francis
  • Hydratta
  • Albany
  • Karina
  • Kolene

Para ver a lista completa, clique aqui. Além disso, a Flora também atua no segmento de limpeza, detendo as seguintes marcas:

  • Assim
  • Minuano
  • Sim
  • Boa noite
  • No Inset
  • Lavarte
  • Fluss
  • Brisa
  • Mat Inset

Embora algumas das marcas pertencentes à JBS não façam testes em animais, é impossível ignorar que a JBS é a responsável pelo abate de sabe-se lá quantos animais diariamente. Se você é vegetariano ou ao menos quer cosméticos que não financiem indiretamente a morte de animais, boicotar a Flora e a JBS de um modo geral é a atitude mais consciente e responsável.

Mesmo que você não esteja preocupado com a causa animal (o que é muito triste, diga-se), a JBS tem em seu “currículo” acusações de estar submetendo seus empregados a rotinas exaustivas de trabalho, salários pífios, condições degradantes, negligência em relação a direitos trabalhistas. Leia mais aqui e aqui. 

Como se não bastasse, embora alegue ter “compromisso com a sustentabilidade”, a empresa estaria comprando gado de empresas em condições ilegais no que diz respeito ao desmatamento – além, claro, de envolver a questão de trabalho quase escravo, invasão de terras indígenas (veja aqui). No ano passado o Greenpeace e a JBS retomaram esforços para sanar essas questões, e agora é esperar para ver como será (eu, particularmente, não tenho esperanças).

Achei importante botar em pauta essa questão da JBS porque não é raro encontrar marcas que até são cruelty-free, mas pertencem a algo muito maior, que é totalmente incoerente com as suas propostas. Exemplos não faltam: a famosa marca Urban Decay, uma das pioneiras na luta contra a experimentação animal, foi vendida para a L’Oréal, um dos conglomerados que mais testam em animais. Comprar da Urban Decay é, de certo modo, favorecer a L’Oréal e suas práticas.

Portanto, é imprescindível que abramos os nossos olhos para todas essas inconsistências de muitas marcas, seja no mercado cosmético, alimentício, de roupas, etc, e não sejamos feitos de tolos. A mudança de hábitos requer também algo essencial: questionamento. Duvide e questione sempre, vá atrás de informações, garanto que você não perde absolutamente nada com isso.

Anúncios

10 comentários sobre “Por que boicotar a JBS e suas empresas?

  1. Você tá certíssima, Nyle! Eu não sabia disso, mas concordo com você e vou compartilhar o post pra divulgar mais ainda essa informação.
    :***

  2. Vou divulgar esta informação! Vejo frequentemente a OX nos sites sobre vegetarianismo como uma marca que não realiza teste em animais, mas estava em dúvida sobre a “índole” da empresa, não confio em muitas marcas que são liberadas nos sites de vegetarianos. Por isso fico tranquila usando o xampu e condicionador da Surya. Beijos,
    Daniela.

  3. Nossa, quando você começou o post eu pensei que minha vida nem ia mudar muito rsrsrs, porque as empresas de alimento que você citou trabalham com produtos lácteos, e eu não tomo leite, tal. Mas realmente saber da Ox e da Hydratta, Minuano, etc, foi uma pequena surpresa. Estão anotadas…
    E achei muito bom você ter mencionado as questões sociais e ambientais, e especialmente ter tocado no assunto sobre essas empresas “cruelty-free” que pertencem a grandes e cruéis conglomerados. Esses dias uma ativista escreveu um post que me deixou uns dois dias decepcionada e chateada, mas enfim… Concordo com você. De que adianta boicotar a L’oreal e comprar produtos de suas empresas? Do mesmo modo essa JBS está na minha lista negra. que horror…

  4. Muito triste!Eu sempre comprei coisas da OX, achando q era uma alternativa as empresas que fazem testes em animais. Enfim…mais uma restrição….

  5. Sabe o que eu tenho pensado (depois da minha mudanca de mentalidade)? Como mudou meu conceito (ou visao, porque nao os conheco para ter um conceito integral) dos artistas que emprestam seus nomes, imagens para marcas que testam em animais. Celebs por quem eu ate tinha simpatia, mudaram pra mim. Sera que esses artistas refletem nessas questoes sociais todas (que nao sao poucas) envolvidas nos contratos, por mais milhonarios que sejam?

    1. Sim, isso é complicado. Uma coisa incoerente que eu vejo, por exemplo, é a Natalie Portman, que é embaixadora da PETA, fazendo campanha pra Dior. A Dior não é uma companhia cruelty free assumidamente (se é, tenho minhas duvidas) e pertence a um conglomerado que faz teste em animais em alguns segmentos. Fora que, se eu não to enganada, a Dior usa peles. Qual o sentido disso? É muito complicado. beijoss

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s