Guia completo: como e por que evitar alimentos transgênicos?

tomato

Para começo de conversa, para quem não sabe, alimento transgênico é aquele que foi modificado geneticamente (ou seja, teve seu DNA alternado), geralmente (e em tese) para torná-lo mais resistente a pragas, ou para que ele tenha sua produtividade aumentada. Ao longo da postagem vocês entenderão o motivo do “em tese”.

Transgenia não é um assunto novo, mas nunca deixou de ser polêmico – principalmente agora, por conta do crescimento massivo do cultivo de transgênicos no Brasil. Infelizmente, ao contrário do que muitos defendem, seus impactos negativos são relevantes, tornando o debate imprescindível!

Os transgênicos não dispensam agrotóxicos, muito pelo contrário!

Embora seja defendido (inclusive pela Monsanto – que  foi processada por isso) que os transgênicos demandam menos agrotóxicos, essa afirmação não é verdadeira. Segundo Rubens Nodari, do Centro de Ciências Agrárias da UFSC, “em 2001, no Brasil foram usados o equivalente a 2,7 kg de agrotóxicos por hectare cultivado. Em 2010, cerca de 5 kg. Neste período cresceu a área cultivada com soja e milho transgênicos. Ou seja, é de se supor que, ao menos indiretamente, esses produtos estão causando problemas, na medida em que estão causando aumento do uso de agrotóxicos” [fonte].

Em 2004, agricultores americanos usaram 86% a mais herbicida em sojas geneticamente modificadas em comparação às  não-geneticamente modificadas. Para completar, o governo dos Estados Unidos mostrou que as culturas transgênicas provocaram um aumento (e não decréscimo) no uso de agrotóxicos (comparadas às culturas convencionais) [fonte].

Alergias e efeitos inesperados

protesto-contra-os-transgenicos-ativista-do-greenpeace-caminha-por-campo-em-que-foram-fincadas-200-estacas-com-cartazes-que-imitam-espigas-de-milho-com-mascaras-de-halloween-em-berlim-alemanha-1272508153276_615x300
Protesto do Greenpeace contra os transgênicos

É sabido que a inserção de um ou mais genes no código genético de um organismo implica na produção de novas proteínas que podem ser alergênicas, ou então de substâncias que provocariam efeitos tóxicos. A ligação entre transgênicos e alergias é extremamente polêmica: embora há quem defenda que OGMs não causam nenhum problema nesse sentido, algumas pesquisas apontam o contrário: de acordo com o Dr. Mercola, em análises, os níveis de um alérgeno conhecido da soja, inibidor de tripsina, foram 27% maiores em soja geneticamente modificada crua (em comparação à soja normal).

Segundo Franco Lajolo, farmacêutico-bioquímico e professor titular do departamento de Alimentos e Nutrição Experimental da USP, as proteínas resultantes da inserção do novo DNA podem ser tóxicas, ter ação antinutricional (atrapalhar a absorção de vitaminas e nutrientes, por exemplo) ou causar mudanças no valor nutricional dos alimentos [fonte].

No ano passado, o G1 publicou uma notícia sobre um estudo feito por uma universidade francesa a respeito dos transgênicos. Nele foi constato uma relevante ligação entre o consumo de milho geneticamente modificado e câncer. Veja aqui.

Sementes transgênicas e a onda de suicídios entre agricultores indianos

De acordo com o site Natural Society, em 2002, taxa de suicídios de agricultores indianos aumentou maciçamente desde a introdução do algodão Bt da Monsanto naquele país. Dados recentes (fornecido pela Universidade de Nova York) apontam que 17.638 agricultores indianos se suicidaram em 2009 – cerca de uma morte a cada 30 minutos.

A explicação mais provável para esses fatos seria alta do preço das sementes transgênicas (e o consequente endividamento dos agricultores, uma vez que as sementes transgênicas exigem inúmeros insumos para “funcionar”) e o fracasso de muitas colheitas (devido a pragas ou baixo rendimento).

Dá para confiar na Monsanto? 

A Monsanto, líder no mercado de transgênicos, não tem uma boa reputação, muitos sabem disso. Dentre algumas de sua contribuições infelizes para o mundo podemos citar a criação do agente laranja, usado na Guerra do Vietnam (contra os vietnamitas). Os estragos do agente são notados até hoje na população local (crianças com problemas congênitos, danos praticamente irreversíveis no solo), e a empresa jamais respondeu pelo ato.

Caso queiram se aprofundar no assunto, eu recomendo fortemente que vocês vejam o documentário abaixo. Além de contar um pouco do que está por trás da gigante Monsanto, ele também aborda os malefícios dos transgênicos, trazendo informações adicionais. Vale a pena ver!

Aprofundando…

  • “GM Crops Do Not Increase Yield Potential” – documento publicado pelo Institute For Responsibly Technolony aponta que, ao contrário do que se veicula, os transgênicos não têm alta produtividade! 

O selo alerta quando o alimento contém ingredientes transgênicos… Ou quase isso

33A5A7EF6BDD42779F9474E318605EB4

Por lei, se um alimento contém mais que 1% de ingredientes transgênicos o fabricante é obrigado a inserir o selo acima (o triângulo amarelo com um “T”). No entanto, infelizmente, muitas empresas não são idôneas e omitem essa informação, não colocando o selo (sendo que deveriam fazê-lo) – Pepsico do Brasil, Nestlé, Kraft Foods e outras já foram processadas por isso.

A fiscalização ineficaz e o descaso das empresas em relação à transparência com o consumidor é um problema sério, e para o nosso azar, o fato de um produto não conter o selo “T” não significa que ele não possua ingredientes transgênicos… Mas nem tudo está perdido!

Como evitar os transgênicos

Devo confessar que, atualmente, se livrar de alimentos transgênicos é difícil, e tende a piorar. Grandes marcas que estão na mesa dos brasileiros fazem uso de transgênicos: Nestlé, Pepsico, Cargill (Liza), Bunge (Soya, Delícia, Primor, Mila), Quero (enlatados, molhos prontos, etc), Ajinomoto (Sazon, Ajinomoto), Kellogg’s, Linea, Bristol & Meyers (Sustagen),Garoto, Adria, Pullman, Novartis (Ovomaltine).

A saída que encontrei foi dar preferência a marcas como Jasmine, Mãe Terra, Native, que não fazem uso de transgênicos; outra opção também foi dar prioridade a alimentos orgânicos (certificados) de um modo geral. Claro que também nem sempre dá para confiar 100% no que é dito, a Olvebra, por exemplo, diz em seu site que não usa soja transgênica, mas o Ministério da Justiça identificou o contrário (veja aqui).

———————————————

Bom, como eu havia dito no começo, é um assunto polêmico, mas eu já me informei e li o suficiente para decidir de que lado ficar: enquanto for possível, evitarei alimentos transgênicos ao máximo. E você?

29 comentários sobre “Guia completo: como e por que evitar alimentos transgênicos?

      1. Ainda não ;/ Como eu trabalho em Lorena, é mais fácil pra mim, mas conversei com o rapaz que veio divulgar aqui e ele me disse que em breve pretendem ampliar pra Cruzeiro também, assim que souber de algo, te aviso (:

  1. Nossa, eu nao sabia de muita coisa que voce colocou no post!!
    Ah, nao sei se voce ja fez um post sobre isso (é que eu não achei), mas qual manteiga vegetal voce ja testou a considera muito boa?se voce já tiver falado sobre isso,me desculpe
    (: bjs

      1. ah, ok! Porque vi algumas nos sites que voce indicou, mas prefiro esperar pelo post e não comprar “às cegas”. obrigada por responder!

      2. Imagina, Larissa! Infelizmente eu acho que vai demorar um pouco pra eu postar, uns meses, mas qual pra que você gostaria de utilizar a manteiga vegetal?

      3. Ah,sobre a manteiga, é pra usar como hidratante corporal, meus cotovelos são bem secos \: bom, mas enquanto voce não faz o post,eu vou dando uma pesquisada (:

      4. Se é pra usar só no corpo as manteigas da Sal da Terra são bem interessantes, próprias pra isso mesmo. Se você quiser usar nos olhos ou outros lugares aí já é melhor comprar as puras

  2. Nyle, queria parabenizar você o seu blog. Desde que comecei a lê-lo ,tive muito mais sensibilidade em relação aos animais e toda essa coisa de cruelty-free. Aprendi muito muito mesmo. Parabéeens!!! vc é uma inspiração pra mim, haha! beijão

  3. Nyle, acabei de assistir o vídeo da Monsanto. Menina, que máfia hein!! O que o dinheiro não faz, né? Eu fiquei pensando o tempo todo na soja que eu e todos os vegetarianos consomem com frequência… será que ela é transgênica? Afff daqui a pouco, a gente não vai mais poder comer nada comprado… e pra ter alimento saudável, só plantando em casa mesmo, viu!! Triste essa realidade!!
    bjks
    http://www.clubedocabeloecia.com.br

    1. Então, marcas como a Jasmine e a Mãe Terra (principalmente essa última) tem uma política clara contra os transgênicos, nem a soja e nem outros produtos dessas marcas são transgênicos, eu só consumo delas! beijoss

  4. Nyle, qual marca de pão integral você usa, estou usando o da pulman, mas vi que ela está na listra que usa transgênicos, se puder me indicar uma marca ficaria feliz.
    Obrigada. Bjs

    1. Elaine, eu faço em casa, acho muito mais bacana desse jeito, apesar de ser mais trabalhoso. Na internet tem muitas receitas!

  5. olá por favor gostaria de saber se existe algum guia de empresas e alimentos que são transgenicos ,existia a do greenpeace mas não achei nenhuma atual,e gostaria muito de saber sobre o leite ninho fases 1,2,3 e o ninho normal pois tenho crianças e sempre procuro não utilizar transgênicos ,mas como nestas listas do greenpeace hora estão do lado ok verde ora estão do lado vermelho com transgenicos ,fico muito desesperada pois esse leites fazem parte diariamente da alimentação dos meus filhos e se conterem materia prima transgenica não os utilizarei mais …liguei varias vezes no sac da nestle mas eles sempre falam que não utilizam nada de origem transgenica na produção para humanos ,somente nas rações animais que é ja horrivel… mas não consigo acreditar pela credibilidade que eles não tem pelo greenpeace de não serem claros com a documentação que prova o uso ou não… POR FAVOR ME AJUDE A SABER SOBRE ESSES LEITES OBRIGADOOOOOOO

    1. Então, tinha a do Greenpeace, agora não tem e também estou meio perdida. Eu realmente não sei dizer quais leites seriam adequados, mas a marca Olvebra é muito bacana, e tem leite em pó se não me engano. Gosto das marcas Native, Jasmine e Mãe Terra, que confio bastante e não utilizam transgênicos. beijos

  6. adorei a publicaçâo, quero saber muito mais. entâo você esta me ajudando a entede melhor e até nos trabalhos de aula do meu filho thiago de 9 anos. brigadâo xeru.

  7. Sensacional o seu blog, este e outros posts. Escrita, gramática, temática, layout, ideias.

    Sou biólogo e também tenho um blog bem relacionado aos temas que você discute (transgenia, alimentação), mas com um foco mais relacionado a política ambiental, embora não tenha muito tempo de escrever. Geralmente sigo a sugestão de Charles Bukowski e espero que o texto saia de mim a gritar.. rs

    Ganhou um leitor. Parabéns e keep on!

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s