Diferença entre protetor solar físico e químico e a polêmica do fator acima de 30

Sei que para muitas pessoas isso não é novidade, mas eu vejo que ainda há quem tenha dúvidas a respeito dessa diferença entre protetor solar físico e químico. Basicamente, o protetor físico (ou filtro inorgânico) é composto (geralmente) por óxido de titânio e/ou óxido de zinco. Sua função é refletir os raios solares formando uma “barreira física”, daí o nome. Os protetores físicos costumam a ter menos ingredientes nocivos que os protetores químicos (não é à toa que os protetores físicos são indicados para crianças e pessoas alérgicas), o que é bacana.

Os protetores químicos apresentam moléculas que interagem com a radiação UV ao invés de refleti-la. Segundo o professor Gilton Lyra para o G1, filtros químicos absorvem a radiação ultravioleta e promovem a degradação da mesma, transformando-a em um tipo de radiação menos nociva para nossa pele.

(adaptado)

A principal crítica aos protetores químicos é que são compostos por muitas substâncias que podem causar alergia e/ou serem nocivas para a pele (lembram desse post? vale a pena conferir). No entanto, são os mais usados, pois costumam a ser facilmente absorvidos pela pele e têm menos chances de deixá-la esbranquiçada (embora hoje o mercado de protetores físicos tenha evoluído bastante e esse problema tenha se tornado menos comum).

Vale mencionar também que seja o protetor físico ou químico, FPS 30 ou 90, a proteção nunca será 100%. Inclusive, esse argumento leva muitos dermatologistas (não todos) e organizações como o EWG a recomendarem protetores entre FPS 15 e 30, nunca acima de 50.

(adaptado)

O motivo principal é que fatores de proteção tão altos geralmente só acontecem em protetores químicos (em protetores físicos é muito complicado, pois a fórmula fica muito pesada e seca), e a quantidade de ingredientes químicos que vão nesses produtos para que eles tenham uma proteção tão alta realmente não é tão vantajoso. Além, claro, do preço ser absurdo.

Quanto maior o fator, maior a proteção, isso é verdade, mas não é algo tão relevante. Para efeito de comparação, um protetor solar de fator 15 pode bloquear cerca de 93% dos raios UVB. O fator 30 bloqueia cerca de 97% e o 50, 98%. Ou seja, se você acha que está recebendo uma proteção absurdamente maior ao usar um protetor 50, melhor repensar.

Caso você não costume a se expor diretamente ao sol no dia a dia, um protetor de FPS 15 é o suficiente. Caso você tenha tendência a manchas/sardas, pele muito branca, ou se expõe ao sol, opte pelo FPS 30. Também é extremamente importante que você escolha produtos de amplo espectro, ou seja, com proteção para raios UVB e também UVA, que são os mais perigosos.

Você certamente sabe, mas nunca é demais lembrar: evite o sol do período entre 9 da manhã e 5 da tarde, use chapéu (mesmo no dia a dia, há modelos discretos e que, dependendo da sua roupa, são totalmente usáveis), vá pela sombra. Sol não é brincadeira, é melhor se precaver agora do que enfrentar um câncer de pele daqui a alguns anos. Tome cuidado!

Fontes: CNN; G1; Marie Claire

17 comentários sobre “Diferença entre protetor solar físico e químico e a polêmica do fator acima de 30

  1. Muito boa a matéria, eu recomendo muito o uso de protetor solar porque a gente vê algumas melhoras até mesmo na pele referentes até mesmo à hidratação, e pra quem tem preguiça (assim como eu) de passar protetor por conta daquela meleca, eu tô usando um FPS 30 da ROC, Minesol oil control.. Ele é muito bom, não mancha, não tem perfume, absorção rápida e ele é levinho e não deixa a pele oleosa, por ser um gel e não creme.

      1. É isso aí!Vamos optar por marcas que NÃO fazem testes em animais! E a ROC é do grupo johnson & johnson que , ao responderem meu email sobre testes em animais afirmou que não pretendem deizar de fazer os testes NUNCA.Por isso, devemos passar beem longe destes produtos!

      2. Sabendo que a johnson & johnson não é cruelty free, resolvi mandar um email, falando que adoraria usar alguns de seus produtos, porém , estou no aguardo de que deixem de testar em animais; recebi uma resposta bem simples: ‘Lamentamos, mas não há possibilidade de deixarmos tais testes.’ Acho que uma empresa que responde assim, e não pensa nem em um dia, quem sabe, talvez, mudar os hábitos, não merece mesmo que compremos.

  2. Eu não sabia que o ROC testa em animais ): falta de pesquisar também,né \: vou procurar outro!
    Ah,e desculpa se voce ja falou disso aqui,mas qual voce recomenda?(que venda no brasil)

    1. Larissa, dos que tem no Brasil eu não recomendaria nenhum por causa das químicas que possuem. Eu já testei o da Ada Tina, o Normalize Matte, achei bacana no controle de oleosidade e diminuição de poros, mas ele chega a ressecar bastante a pele se você não hidratar antes. Mesmo assim, eu não recomendaria por causa das químicas mesmo, aí se você quiser comprar mesmo assim vai de você e tudo mais. beijoss

      1. Hmm entendi.Bom,então vou dar uma olhada nos que voce ja comentou aqui no blog (: obrigada

      2. Semana que vem vou postar a resenha completa do que eu estou usando, aí você dá uma olhada, caso queira, certo? beijoss

  3. Nyle a Neutrogena faz testes em animais tbm? 😦 Eu usava o minesol, mais como tô usando um ácido pra clarear manchas, tive que aumentar o fator do protetor, e comprei o novo da Neutrogena, Sun Fresh fator 60. É ótimo, segura a oleosidade, tem um cheiro bom e hidrata muito a pele. Paguei 43 reais, quanto você pagou nesse que você tá usando agora? Pq se tiver um preço parecido com esse, vou optar por ele! Vou aguardar a resenha completa beijão linda.

    1. Sim, a Neutrogena faz testes em animais. Então, nesse eu paguei 46 reais + -, incluindo o frete, o preço é bem similar! Essa semana vou postar daí você dá uma olhadinha. Beijoss

  4. Eles respondem assim porque ainda não existe impacto significativo nas vendas. Mas isso vai mudar, e logo as pessoas irão se certificar se ocorrem os testes, e rechaçar marcas sem ética como a Jonhson.. aí a resposta deles certamente irá mudar..

  5. Nyle… se eu usar fator 50, quer dizer que eu posso ficar mais tempo exposta ao sol do que usando o fator 30, né? No caso, cerca de 8 horas… beijosss

    1. Mayra, qualquer protetor solar, independente do fator, deve ser reaplicado e, caso você entre na água ou sue muito, a cada 40 minutos. Isso independe do fator. beijos

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s